quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

HC535-Tú és fiel, Senhor


"As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade."
(Lamentações 3:22 e 23)


Letra: Thomas Obediah Chisholm, 1923
Música: William Marion Runyan, 1923
Tradução: (1960)
- Joan Larie Sutton
- Lydia Cassano Bueno
- Hope Gordon Silva

1
Tu és fiel, Senhor, meu Pai celeste:
Pleno poder aos teus filhos darás.
Nunca mudaste: tu nunca faltaste:
Tal como eras, tu sempre serás.
.
Coro
Tu és fiel, Senhor! Tu és fiel, Senhor!
Dia após dia, com bênçãos sem fim,
Tua mercê me sustenta e me guarda.
Tu és fiel, Senhor, fiel a mim.

2
Flores e frutos, montanhas e mares,
Sol, Lua, estrelas no céu a brilhar:
Tudo criaste na terra e nos ares.
Todo o Universo vem pois te louvar!

3
Pleno perdão tu dás: paz, segurança:
Cada momento me guias, Senhor.
E, no porvir, oh! que doce esperança:
Desfrutarei do teu rico favor!
.
.
GREAT IS THY FAITHFULNESS

Words: Thomas Obediah Chisholm
Music: William Marion Runyan
.
1
Great is Thy faithfulness, O God my Father;
There is no shadow of turning with Thee;
Thou changest not, Thy compassions, they fail not;
As Thou hast been, Thou forever will be.
.
Refrain
Great is Thy faithfulness! Great is Thy faithfulness!
Morning by morning new mercies I see.
All I have needed Thy hand hath provided;
Great is Thy faithfulness, Lord, unto me!

2
Summer and winter and springtime and harvest,
Sun, moon and stars in their courses above
Join with all nature in manifold witness
To Thy great faithfulness, mercy and love.

3
Pardon for sin and a peace that endureth
Thine own dear presence to cheer and to guide;
Strength for today and bright hope for tomorrow,
Blessings all mine, with ten thousand beside!



HISTÓRIA

Dos hinos cristãos, um em particular, sobressai como a luz de um farol, devido à sua mensagem, vinda do Pai celestial que continuamente sustenta e cuida dos Seus filhos.

Este hino, "Tu és fiel", foi escrito por um pregador que depois se tornou repórter de jornal, Thomas Obediah Chisholm, de Vineland, Nova Jersey; e a música foi composta por William M. Runyan.

Muitos hinos têm sido escritos motivados por alguma experiência particular, porém, observando a vida do sr. Chisholm, chegamos à conclusão de que este hino foi o resultado de uma experiência do "dia a dia" da fidelidade de Deus para com Ele. Aliás, de acôrdo com Thomas Chisholm, que escreveu a letra, não houve qualquer circunstância especial para que surgisse a inspiração desse hino, a não ser sua experiência pessoal com Deus e as verdades Bíblicas.

Foi publicado pela primeira vez em 1923, no hinário intitulado Songs of Salvation (Cânticos de Salvação) da autoria de Runyan.
.
.
AUTOR
Thomas Obediah Chisholm
(1866-1960)

Nasceu no Estado de Kentucky, no dia 29 de julho de 1866, em circunstâncias humildes e teve de instruir-se por si mesmo. Apesar de só completar o curso primário por esforço próprio, mais tarde se tornou professor. Com 21 anos já era redator auxiliar do jornal local.

Com 27 anos, Chisholm se converteu durante uma série de conferências evangelísticas. Mais tarde, foi consagrado ao ministério pela Igreja Metodista, mas o seu estado de saúde bastante precário proibiu que desenvolvesse muitas atividades. Por esta razão, ele deixou o pastorado. Chisholm escreveu um total de aproximadamente 1.200 poesias. Faleceu no Lar Metodista de Ocean Grove, Estado de Nova Jersey, em 29 de fevereiro de 1960, aos 93 anos de idade. O nome da melodia, dado pela família de Runyan, é FAITHFULNESS (Fidelidade).
.
.
COMPOSITOR
William Marion Runyan
(1870-1957)

O homem lia com cuidado as várias poesias que tinha diante de si. Elas lhe foram enviadas por um amigo, para que ele, sentindo a devida inspiração, escrevesse músicas para acompanhá-las. Uma das poesias logo chamou a sua atenção. "Esta poesia tinha tal apelo, que orei com todo o fervor para que a minha melodia pudesse transmitir a sua mensagem duma maneira digna", disse Runyan.

A cena descrita transcorreu em 1923. O compositor era o Rev. William Marion Runyan, metodista norte-americano. Sem dúvida, hoje podemos dizer: a música do compositor faz exatamente o que ele tão ardentemente desejou.

Runyan nasceu no dia 21 de Janeiro de 1870, em Marin, Estado de Nova York. Tinha grande inclinação para a música. Iniciou os seus estudos de música quando tinha 5 anos, e aos 12 já servia como organista da igreja. Quando tinha 14 anos seu pai, que era pastor metodista, mudou-se, com a família para o Estado de Kansas. Apesar do seu grande talento musical, Deus tinha outros planos para Ruhyan. Aos 21 anos de idade, foi consagrado ao ministério pastoral. Serviu como pastor e evangelista entre os metodistas durante 32 anos.

Por causa de um problema de surdez, Runyan deixou o pastorado em 1923, para assumir responsabilidades na Universidade John Brown, trabalhando também como redator da revista Cristian Workers’ Magazine (Revista do Obreiro Cristão) e como compilador de hinários. De 1931 a 1944, serviu no Instituto Bíblico Moody, em Chicago. Foi nesse Instituto que o hino Tu És Fiel, Senhor, tornou-se muito conhecido, tornando-se um dos prediletos dos alunos daquela instituição. Quando o Dr. Houghton, presidente da mesma, faleceu, o hino foi entoado por todos os presentes ao culto fúnebre.

Em 1923, quando Thomas Chisholm enviou aquelas poesias a William Runyan, este, compositor de quase 300 hinos, já havia feito umas 20 ou 25 músicas para acompanhar poesias de Chisholm, seu colega e grande amigo.
.
.
Uma experiência marcante!

Em 1941, dois homens estavam revendo a lista de membros dos Gideões, quando viram, de repente, um nome que lhes era familiar. Descobriram que se tratava do sr. Thomas Obediah Chisholm e com a seguinte anotação ao lado: "Cancelado por falta de pagamento".

Eles se lembraram de que o sr. Chisholm era o autor de um hino que muito impressionou o missionário John Stam, que fora martirizado. Este mesmo hino fora o tema da vida de Stam durante os seus estudos no Instituto Bíblico Moody, quando se preparava para o serviço missionário e que, finalmente, levou-o a entregar a sua vida, juntamente com a da sua querida esposa, a fim de que outros pudessem ter vida ...

Os dois homens ficaram sensibilizados com o achado. Pensaram que eles mesmos é que deviam pagar a dívida do sr. Chisholm.

Ao mesmo tempo, o Senhor estava tocando também no coração de um homem de negócios, na cidade de Nova Iorque, o qual não podia dormir porque passava-lhe pela mente o pensamento de que o sr. Chisholm, a quem ele não conhecia pessoalmente, mas apenas através dos hinos sacros que escreveu, estava em grande aperto financeiro.

Mas, como poderia fazer chegar a ele qualquer importância em dinheiro? Não sabia onde ele morava! "Estou certo de que o procurador Jacob Stam sabe do seu endereço", pensou ele. "Pedirei a ele para levar este dinheiro ao sr. Chisholm".

Assim fez, mas a história não termina aqui. Pela primeira vez em sua vida a família Chisholm estava enfrentando uma necessidade desesperada que, do ponto de vista humano, jamais poderia ser solucionada.

Naquela noite, quase como simples crianças, eles levaram aquele problema à presença do Pai celestial, não sabendo, contudo, que o Senhor já havia respondido. Na manhã seguinte o correio trouxe ao casal Chisholm uma única carta - era do sr. Jacob Stam - e dentro se encontrava a importância de que necessitavam, enviada pelo homem de negócios de Nova Iorque, que jamais
conheceram!

Alguém poderia dizer que foi uma coincidência; mas devemos dizer como disse o sr. Chisholm:

"Foi a fidelidade de Deus! " Pois, numa carta escrita em 1949, ele disse: "Estou próximo dos meus oitenta e três anos de idade, mas a força do alto tem sido sempre suprida", juntamente com o cumprimento da Sua promessa: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades" (Filipenses 4.19). Não somente o suprimento das necessidades, mas as ocasiões desse suprimento, têm assinalado os marcos do Seu cuidado providencial, cada dia, cada momento".
.
Outra experiência marcante!

No Jornal "Mensageiro da Paz", edição número 1.471, de Dezembro de 2007, lemos o seguinte:

O autor do hino que leva este nome foi um pastor batista norte-americano. Ele foi traído pela sua esposa e ficou com os dois filhos. Quis entregar a igreja, mas foi persuadido a permanecer pela Convenção que o autorizou a continuar pastoreando. Novamente tentou entregar a igreja e mais uma vez a Convenção interferiu para ficasse. Ele dizia que não podia ficar à frente da igreja naquela situação, pois achava-se embaraçado, embora não tivesse pecado, conta-nos o pastor Antonio Gilberto. Ele permaneceu e acabou compondo o hino 535 da Harpa Cristã: "Tú és fiel, Senhor".

REVISADO EM 14/03/2010
-.-
harpadigital@gmail.com

Um comentário:

Robson Silva de Sousa disse...

Verdadeiramente fiel é o Senhor para com o Seu povo!

Quero parabenizá-lo por tão importante trabalho publicado por este blog.

Já tem algum tempo tenho desejado tomar um tempinho para lê-lo com paciência, e hoje tomei essa decisão...

Comecei justamente pela publicação do HINO 535, o qual estou estudando para iniciarmos um coral em nossa igreja...

Não poderia haver sugestão melhor que esta, já que é a fidelidade do Senhor para conosco nos momentos de dor, angústia e sofrimento, a causa de nos mantermos firmes; de pés; prosseguindo para o alvo...

Estou certo de que grande é o desafio que nos espera, e mui grande as barreiras que haveremos de enfrentar... Mas faço minhas as palavras do Pr. Chrisholm:

Estou certo de que não apenas os suprimentos mas as ocasiões em que estes hão de nos alcançar, nos farão ainda mais firmes e constantes, confiando na FIDELIDADE DO SENHOR!

Em Cristo Jesus,

Robson Silva
Prossigo para o Alvo... Fp. 3:14

Contador

Pesquisa sobre os hinos mais cantados na sua igreja: